sexta-feira, 14 de julho de 2006

Grito



Hoje, ainda que por momentos, senti-me assim. Um grito interior a sufocar-me a alma mas que não teve qualquer projecção nas cordas vocais. Ninguém deu por ele.
Estou farta das injustiças, dos pensamentos viciados, do querer e não poder, do andar e não avançar um passo, das incertezas, das esperas, das angústias, do chorrilho de emoções, da intranquilidade, da sofreguidão por querer saber mais, sempre mais.

O grito terá de sair!

1 comentário:

MM disse...

Tens mesmo de o deixar sair.
Vais ver que depois tudo melhora!

beijinhos