quinta-feira, 23 de abril de 2009

Livros no plural


No dia mundial do livro a pergunta da praxe é “Então e qual é o livro da tua vida?”.
Lamento mas para mim é-me impossível responder a isso. Eu acho que quanto mais se gosta de ler, quanto mais se lê, mas difícil se torna eleger as palavras escritas que mais me tocaram.

Porque há aquele livro em que adorei a personagem, porque há o outro em que me deixei deslumbrar pela estilização da escrita, porque há o outro tão bem descrito que me arrepia, e o outro em que a comédia e o sarcasmo são utilizados de forma inigualáveis. Porque há a poesia, há o romance, as biografias e os ensaios, porque existem acima de tudo palavras.

O livro da minha vida será concerteza aquele que ainda não li e aquele que eu gostaria de escrever um dia.

Nessa altura não me importava nada de saber escrever com as técnicas narrativas do Carlos Ruiz Zafón, com uma pitada do discurso sarcástico do José Saramago, um pouco da intrincada visão sobre a natureza humana do Milan Kundera, completados com a veia poética mais insólita de um Pessoa ou Cesariny.

Por agora deixo que as palavras me toquem, e as estórias me enlevem e que na minha vida não haja um livro no singular mas que abundem no plural.

3 comentários:

stardust disse...

Não podia concordar mais contigo, tmb se me perguntarem qual é o livro da minha vida, me recordo de umas dezenas deles, e não consigo decidir.

Sou fá da leitura sem dúvida, embora um pouco arredada neste momento, tenho em lista de espera para as férias uma quantidade de livros...

Beijocas

Natacha disse...

Esta é mais uma das coisas que temos em comum. Não é só a leitura, o gostar de ler, é o gostar dos livros, do seu cheiro, enfim...
Apesar de não conseguir eleger um livro como o "preferido", não deixo nunca de mencionar "O Principezinho" e "O meu pé de Laranja Lima" ...

Por acaso não tens lá em casa nenhum livro meu??? (brincadeirinha - risos)

Blossom disse...

...grandes companheiros principalmente na adolescencia em que me perdia nos Milan Kundera, no Pessoa (AMOOO) e Somerset Maugham...é que os computadores Spectrum eram mt caros :)) e o meu pai achava que devia investir em itens mais fundamentais na nossa familia e então ganhei esta apetência muito forte pelos livros, pela evasão, pelas vidas vividas fora de nós ;
bj