quinta-feira, 18 de outubro de 2007

Construir o optimismo

Tenho pena que não sejamos uma sociedade optimista e que vivamos sob a doutrina do “quanto maior a subida maior é a queda”, fugindo por isso aos grandes sonhos e ao correr riscos. Tenho pena que as desgraças vendam sempre mais que as alegrias e que vivamos sob o paradigma da psicologia pela negativa em que mais vale pensar que é mau e depois ser bom do que pensar à partida que é bom e depois ser mau.

Tal como para a maioria dos portugueses o optimismo em mim não é inato, nem fruto da minha educação. Não fui educada para acreditar que tudo acabará bem nem cresci somente a ouvir falar de contos de fadas. Pelo contrário, o meu optimismo tem sido construído (à custa de muitas crises) e é fruto da minha força de vontade e da minha crença de que se viver não é fácil mais difícil é se não formos felizes e para sermos felizes temos de ter algum optimismo perante a vida.

Esforço-me por isso a cada momento por conseguir impor algum humor às situações adversas da minha vida e em retirar delas ensinamentos, em controlar os meus pensamentos destrutivos e em dar vida aos construtivos, em orientar as minhas emoções para actividades edificantes, em imprimir a esperança no meu quotidiano e a prossecução de sonhos, em ser capaz de gerir o meu destino e não ficar à mercê de uma existência que não escolhi.

É certo que não são excepções as vezes em que me sinto a lutar contra uma maré, a querer construir um percurso que o acaso destrói, em querer voar com as asas cortadas. Nessas situações tenho de voltar a insistir, porque o optimismo também se constrói de persistências.

Por isso tenho pena que a educação para o optimismo não seja uma prática na nossa sociedade e que o ditado “tristezas não pagam dívidas” não passe de um cliché, que inúmeras vezes se diz, mas que raramente se cumpre.




13 comentários:

Maganita disse...

Minha querida, escreves aquilo que eu gostaria de seguir. Nem sempre é fácil. Nem sempre tenho a capacidade de o fazer, mas olhando para trás constato que, sem dúvida, já o faço melhor agora do que há uns tempos atrás.
E têm sido pessoas como tu que me têm ajudado a fazê-lo cada vez mais e melhor, a construir o meu optimismo.

Um grande beijinho e bom fim de semana.

kitty disse...

Também concordo que se aprende a contruir o optimismo, mas que é dificil, é!
Estou neste momento a lutar contra a tal doutrina “quanto maior a subida maior é a queda”...
Quero acreditar, tenho que acreditar!
Fico feliz por saber que, aos poucos, vais ficando mais optimista!
Bom fim de semana
Beijinho

criolinha disse...

É incrível como o ser humano encontra a força e a vontade no meio das adversidades da vida. Acho que quem nunca lutou para conseguir algo não é verdadeiramente feliz. E quanto mais se luta maior é a recompensa ;)

Amiga Amora! Muita esperança para voces. Acredita que estão no bom caminho ;)

beijos nossos :*

Susana Pina disse...

Como te compreendo...Já aprendi muito com todas as coisas más que me têm acontecido, e por isso mesmo que não deixo de ser optimista, embora regrada. Uma das coisas que aprendi, é que nada nesta vida é um dado adquirido, e tenho que viver com essa constatação embora com optimismo.
Vejo, que aos poucos te vais recompondo, e olhas para o futuro com Esperança, o que é muito bom.
UM grande bj
Susana

sophis disse...

Leio-te há algum tempo. Acho que este post encerra o muito que me pareces ser enquanto mulher. Por isso tomou a ousadia de te "premiar" com uma estrelinha também. Um beijo

Mary disse...

Uma boa reflexão...
Eu tenho momentos. O meu humor varia bastante e com ele o meu optimismo ou pessimisto modifica-se.
Mas acho que é como tu dizes, lutar sempre por mudarmos o que não gostamos é uma forma de optimismo.
Bjs

IC disse...

tens toda a razão, claro! e muito obrigada por explicares tão bem, que para "miúdas" como eu é muito difícil aplicar esses ensinamentos, embora saiba que é assim que deve ser. beijinhos e boa semana.

Clara disse...

Podia ter sido eu a escrever estas linhas...

Anónimo disse...

Fizeste-me lembrar uma escritora que muito aprecio e que escreve muito sobre o optimismo - Helen Keller.
Deixo-te aqui um pequeno excerto que li recentemente e que seguramente vai de encontro a este teu post:
“A pessimist only sees the dark side of the clouds, and mopes; a philosopher sees both sides and shrugs; an optimist doesn't see the clouds at all--he's walking on them.”

Um grande beijo
M

stardust disse...

Pois... É importante é, mas a tendÊncia é sempre pelo pessimismo...

Beijocas

Luna (Dina) disse...

revejo-me inteiramente nas tuas palavras. tambem por muitas razões fui obrigada a buscar esse optimisto muitas vezes.
Parece-me que será um busca permanente pois ha sempre dias em que ele nos foge das nossas mentes e ai há que voltar a fazer o tal esforço e ir á procura dele.
Vejo que tens essa capacidade de te regenerares, embora isso por vezes não seja nada fácil.
Com imensa força de vontade chegarás a bom porto. beijinhos

cate disse...

LInda, que as tuas palavras sejam exemplo para muitas pessoas, que o teu exemplo seja a peça viva de força e coragem!
Força amiga... e sabes... eu sei que vais conseguir!
cate

cris disse...

Também eu ando sempre em luta com o meu pessimismo, de forma a ultrapassa-lo, de forma a viver melhor, com um sorriso por cada dia que passa, mas é difícil sobrepor o optimismo, mas é um trabalho que tem de ser feito por nos.
Beijocas