quarta-feira, 2 de maio de 2007

Sabiam que para se gastar o equivalente às calorias ingeridas num “super menu” com sobremesa...
... teriam de correr uma meia-maratona?

Dá que pensar…

Por isso é hoje lançada pelo Governo a Plataforma Contra a Obesidade, uma doença que é já considerada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) a pandemia global do século XXI e que aflige 15% da população sendo responsável pela diabetes, colesterol e doenças cardiovasculares.

Concordo plenamente que deva existir uma educação para a alimentação desde os primeiros anos de vida, que estimule a alimentação saudável e equilibrada, objectivo que deverá ser partilhado por toda a comunidade, desde pais, professores, médicos e empresários. Há que saber comer para que, não deixando de tirar proveito de uma saborosa refeição, se saiba fazê-lo da melhor e mais saudável forma.

Como em tudo é sempre melhor a prevenção da obesidade do que o seu tratamento, essencialmente se este incidir em dietas, supostamente, miraculosas que apenas funcionam enquanto são, penosamente, cumpridas e que nos tornam tremendamente infelizes. É que o acto de comer é um acto de prazer, pessoal e social. Tendo nós um país de tamanha riqueza gastronómica e com uma densidade elevada de bons restaurantes, o encontro com a comida é um apelo diário e torna-se difícil resistir a tão deliciosas iguarias. As dietas de emagrecimento tornam-se ainda menos eficazes porque surgem quase sempre como algo restritivo e impeditivo. Psicologicamente errado, se pensarmos que o “fruto proibido é sempre o mais apetecido”.

Por isso as dietas ideais são para mim aquelas que não proíbem alimentos mas que nos ensinam a comer com moderação e que se regulam por um número de calorias diárias que deverão ser cumpridas. Tem de existir alguma flexibilidade e autonomia para permitir que um pequeno abuso ao almoço possa ser corrigido ao jantar.

Claro que o grande desafio consiste em conciliar os princípios da boa alimentação, com a vida agitada, o pouco tempo para cozinhar e o ter que comer sempre fora de casa. A estes factos não deverá esta plataforma ser alheia.

Como remate final mas ainda sob o mote “comer um pouco de tudo mas com moderação” deixo-vos o link para votar nas 7 maravilhas de gastronomia portuguesa. São na sua maioria bastante calóricas por isso votem mas não abusem!

3 comentários:

IC disse...

para variar, concordo :O)
beijinhos

Anna72 disse...

Concordo inteiramente! Não é preciso deixar de comer, basta moderar, diversificar, racionalizar e apostar mais nas fibras, nos vegetais e na água.

Vamos ver se a plataforma contra a obesidade consegue inverter a tendência... não vai ser fácil.

Beijocas

Tiquinha disse...

Perdemos muito, com a perda da nossa identidade culinária; deixamos entrar pela nossa porta a dentro muita comida rapida, a verdade é que nos dias que correm quem tem paciência para passar horas na cozinha? As minhas dietas não são fome de cão, acabo é por cortar coisas superfulas e desnecessarias, que normalmente tem camufladas um montão de coisas más..... Perco um bocado de tempo na cozinha, mas acho que vale a pena!!
beijocas
tica