segunda-feira, 16 de abril de 2007

Os meus olhos são uns olhos
E é com esses olhos uns
Que eu vejo no mundo escolhos
Onde outros, com outros olhos,
Não vêem escolhos nenhuns.

Quem diz escolhos diz flores.
De tudo o mesmo se diz.
Onde uns vêem luto e dores
Uns outros descobrem cores
Do mais formoso matiz.

Nas ruas ou nas estradas
Onde passa tanta gente
Uns vêem pedras pisadas,
Mas outros gnomos e fadas
Num halo resplandecente.

Inútil seguir vizinhos,
Querer ser depois ou ser antes.
Cada um é seus caminhos.
Onde Sancho vê moinhos
D. Quixote vê gigantes.

Vê moinhos? São moinhos.
Vê gigantes. São Gigantes.

António Gedeão

11 comentários:

Mary disse...

Mas que coisas bonitas andas tu a ler?
Bjs

Anna72 disse...

António Gedeão deixa a sua impressão digital ;)

Um dos meus poetas preferidos.

Beijocas

Maganita disse...

Minha querida amora!
Adoro este poema! E graças a ti tive aqui um momento de melancolia, mas no bom sentido. Já o conhecia à muito. Estava escondido num cantinho da minha memória e ao lê-lo percebi que ainda me lembrava tão bem dele.
E é tão bom recuperar assim memórias, espaços nossos, que o tempo não apaga...
Um grende beijinho.

Alexia disse...

bem lindo.....não conhecia...

amei

beijos poeticos

cris disse...

Espero que os teus vejam só coisas boas!
Beijocas

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
IC disse...

que os teus olhos te mostrem o caminho para alcançares os teus sonhos
beijinhos grandes

Tiquinha disse...

Lindo!! não deixa de ser a mais pura das verdades.... eu continuo a ver um caminho lindo a minha frente....
Beijocas
tica

YAMI disse...

Oi querida

Concordo contigo - gosto!!

beijocas e torço por ti
yami

susana pina disse...

Olhos iguais e visões diferentes.
Eu prefiro as boas visões, sebem que muitas vezes o que vimos é aquilo que não queremos ver.
Um bj grande para ti cheio de muita força
Susana

IC disse...

amiga bom FSD e mt obrigada pelo teu comentário no meu cantinho.beijinhos